Depressão na Adolescência

Adolescentes Desconectados

A adolescência é muitas vezes associada a uma crise no desenvolvimento e é tida como passageira, no entanto o sofrimento descrito pela M. (adolescente de 15 anos) não é de todo natural e não deve ser olhado como passageiro. A depressão e o suicídio na adolescência, é uma realidade muito patente na nossa sociedade e por isso não devemos negligenciar, temos de estar atentos aos comportamentos e sentimentos porque muitos adolescentes se sentem desta forma e não sabem como pedir ajuda, porque se sentem culpados e desajustados da realidade atual.

… Quando era mais pequena queria tanto ser crescida para tomar as minhas decisões, para dar as minhas opiniões, para ser independente… se soubesse que ser adolescente era isto, teria escolhido manter-me na feliz inocência da infância, onde tudo parecia simples descomplicado e genuíno.

Sempre ouvi falar da adolescência como uma etapa do desenvolvimento em que ocorrem muitas transformações biológicas, psicológicas e sociais, mas só agora entendo do que falavam, no entanto é bem mais difícil do que imaginei.

Mas afinal dizem que sou como todos os outros adolescentes, estou a crescer e as hormonas fazem-me ter “mau feitio” e ser respondona, afinal é assim que os adultos me veem… igual a todos os outr0s… o que ainda não entendem é que eu me sinto irritada porque me sinto diferente de todos, não me identifico com a sua forma de vestir,  não tenho o corpo perfeito, não tenho seguidores nas redes sociais, e pior… ninguém gosta de mim, não sou suficientemente boa para ninguém, para alem disto tudo, os meus pais não me entendem, nem vale a pena explicar porque eles não vão entender.

Agora com a pandemia, fiquei ainda mais isolada, fecharam a escola e fui obrigada a olhar-me, olhar-me verdadeiramente e não gostei nada do que vi… aquela criança que eu conhecia tão bem, que sempre agradou os meus pais e familiares, já não existe em mim e eu não tinha reparado que se tinha ido embora… agora não me reconheço, nem física, nem psicologicamente, nem consigo olhar para esta nova pessoa que vive dentro de mim.

Sinto-me vazia, desconectada de tudo e principalmente de mim mesma, estou triste, assustada, perdida, com muito medo e a dor que sinto é tão grande que preciso de me magoar para aliviar essa dor tão intensa! Estou à margem, sinto-me um verdadeiro alien, tal como o nome me permite imaginar, alienada desta sociedade que me impõe, que tudo me exige e que apenas tem para me oferecer um futuro incerto!

Não me identifico com os meus amigos, a família não me entende e eu não me reconheço… sinto-me irritada, culpada e inundada de medo… só me apetece adormecer e nunca mais acordar, só assim conseguiria acabar este sofrimento… provavelmente ninguém iria sentir a minha falta, ou até se sentiriam aliviados porque neste momento sou apenas um fardo, um peso morto que não serve para nada…

É assim que M. se sente, é assim que muitos adolescentes se sentem… Desconectados de si, desconectados dos outros, desconectados da realidade! O vazio que os preenche é tão intenso que os pensamentos suicidas são recorrentes e parecem ser a única solução, numa tentativa de suspender esta dor que os invade.

Estes adolescentes são o nosso futuro, são o futuro da Humanidade, necessitam de apoio e compreensão AGORA!

fala comigo