Ensine o seu filho a prática da gratidão e ele tornar-se-á uma criança mais feliz!

Sentir gratidão pela vida que temos e pelas situações que vivemos é um padrão mental que pode ser desenvolvido desde a infância e proporciona imensos benefícios na qualidade de vida. Vários estudos científicos têm sido desenvolvidos nesta área e os seus resultados dão-nos conta de que as pessoas gratas apresentam níveis mais elevados de felicidade e otimismo, são mais positivas, têm mais energia e dormem melhor.

O bem-estar emocional parece estar diretamente relacionado com a quantidade de gratidão que constantemente presenciamos e nos permitimos sentir. Pessoas infelizes costumam defender sua negatividade e reclamar, dizendo coisas do tipo “Eu não estou a ser negativo, estou apenas a ser realista”, no entanto essas pessoas decidiram focar-se apenas nas coisas menos boas que lhe aconteceram e estão constantemente a promover o seu estado negativo e consequentemente um sentimento de mau estar geral que condiciona também a forma como se observa e ao ambiente que o rodeia. 

À medida que as crianças crescem e se desenvolvem vão vivenciado situações e desafios que as vão fazer tomar consciência de si mesmas e do seu exterior e vão criando a sua autoimagem (autoestima; autoconfiança, etc.), nesse sentido é necessário estarem providas de ferramentas que lhes sirvam de proteção ao seu “Eu” e consigam desenvolver a sua inteligência emocional de forma a conseguir lidar com os momentos bons e menos bons do seu dia a dia, tornando-se crianças felizes e jovens de sucesso.  

Como podemos ajudar as crianças nesse sentido?

Ajudando-as a criar bons hábitos mentais e um deles é a prática da gratidão, dessa forma ele conseguirá colocar em perspetiva e relativizar quando algo menos positivo lhe acontece, por exemplo: quando um colega na escola não tiver um comportamento adequado, ela vai direcionar os seus pensamentos para: continuo a ter uma família que gosta de mim; adoro o meu cão ou gato; o almoço foi fantástico; etc. A criança aprende a focar-se no que tem de positivo e a desvalorizar o que acontece negativo.

Este processo de mentalização positiva, necessita de treino, por isso é importante criar o hábito e ajudar as crianças a criar esta prática da gratidão diariamente, focando-se pelo menos em 3 coisas boas. Assim irá conseguir fortalecer o musculo mental desde cedo e promover uma maior capacidade de resiliência, uma autoestima positiva e uma maior capacidade de tolerância à frustração o que irá contribuir para um melhor desenvolvimento emocional, psicológico e social.

Para dar início à criação deste exercício mental os adultos devem falar regularmente com a criança sobre as coisas boas que aconteceram durante o dia, podem perguntar: “Qual foi a melhor parte do dia hoje?”, por outro lado os adultos são o exemplo e por isso devem também pelo exemplo demonstrar que estão gratos e podem começar por verbalizar que estão gratos pelo facto de a terem (a criança) na sua vida e dizer o quanto a amam.  Quando a criança tem noção do que a torna tão especial e única, vai fomentando a sua autoestima e a autoconfiança, se apenas apontarmos os erros e os comportamentos desajustados, então ela vai assumir que essas são as suas principais características e vai sentir-se mal consigo própria.

fala comigo